Analistas da MTI palestram sobre inovação e práticas para melhorar processos e resultados

 Foto por: Assessoria/MTI
Foto por: Assessoria/MTI

Implementar a cultura da inovação e práticas ágeis para melhorar processos e aperfeiçoar resultados foram temas de palestras realizadas pelos analistas da Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) aos colaboradores da empresa que estão cedidos à Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz).

A intenção foi disseminar essas ferramentas e apresentar como elas estão sendo usadas na sede da MTI para alavancar o desenvolvimento de projetos.

As palestras fIzeram parte da primeira edição do Café Tech Itinerante, realizada nesta quarta-feira (12.02), na sede da Sefaz. O Café Tech Itinerante é um desdobramento do Café Tech, iniciativa criada pela Unidade de Gestão Estratégica de Inovação da MTI para difundir a cultura da inovação entre os colaboradores da sede da empresa. Nesse novo formato, porém, o evento acontece em outros órgãos públicos.

Nessa primeira edição, os analistas que atuam na Sefaz puderam conhecer um pouco do que, de fato, é a inovação com a palestra “Você já inovou hoje?”, proferida pela analista Sayuri Arake. Ela explicou o conceito de inovação, que requer a capacidade da colaboração e do compartilhamento de ideias. “Mas ideia por si só não é inovação. Ela precisa ser finalizada e gerar resultados para ser inovação”, reforçou.

Sayuri ainda exemplificou sobre ideias inovadoras e citou inúmeras empresas que já se utilizam dessas práticas, como a Google, Facebook, Apple, Tesla, entre outras. “Quando se fala em Governo sempre pensamos em burocracia e processos lentos, diferentemente da iniciativa privada. Mas dá para colocar em prática a inovação. Não há receita mágica para isso, mas há alguns pilares que dá para seguir”, afirmou.

Ao todo, segundo Sayuri, são cinco os pilares da inovação necessários para transformar ideias em resultados. O primeiro deles é preocupar-se com os clientes, seguido da necessidade de pensar grande, começar pequeno, mas andar rápido quando da execução de um projeto.

O terceiro pilar consiste na necessidade de questionar tudo e procurar ideias em todos os lugares. O quarto pilar é adquirir e compartilhar conhecimento, seguido do último, que é evoluir constantemente.  “Temos tentando implementar esses pilares na MTI e já temos alguns resultados importantes, como parcerias e eventos”, disse.

Fruto do processo de inovação, a MTI lançou somente no ano passado dois novos produtos, sendo o MTI G Suite, que é o resultado da parceria estratégica com o Google, além da Fiscalização Eletrônica, oriundo da parceria estratégica com a Oi/SA.  Além disso, segundo Sayuri, outros cinco novos produtos estão em fase de desenvolvimento, como os projetos X-via e MT Cidadão 2.0.

Para finalizar, Sayuri apresentou o painel da inovação, que contém todos os dados da Unidade de Gestão Estratégica de Inovação, que vão desde o número de empresas interessadas em serem parceiras da MTI, além das parcerias firmadas, o número de ideias de inovação e outros assuntos relacionados.

Práticas ágeis

Já o analista Sócrates Barros discorreu sobre “Práticas Ágeis”, o que são, como funcionam e quais as novas formas de metodologia para gestão e planejamento de projetos. “As pessoas acham que ser ágil é ser mais rápido. Mas não é. É escolher um caminho, trilhá-lo com qualidade e eliminar o desperdício”, afirmou.

Segundo Sócrates, as práticas ágeis não devem ser utilizadas em todos os cenários e requerem atitude, comprometimento e colaboração para se conseguir desenvolver uma ideia, produto ou solucionar um problema.

Além disso, as práticas ágeis são baseadas na necessidade de se buscar um produto mínimo viável (MVP, na sigla em inglês), o que significa realizar a versão mais enxuta de um produto que pode ser disponibilizada para o negócio.

“A ideia é entregar valor. Senão você fez, fez e fez e no final não entregou valor para o cliente, não entregou o que ele precisava. Temos que pensar o que estamos entregando. Sabemos que o processo é cheio de problema.

Você não vai conseguir mudar tudo de uma vez. Mas você é capaz de implantar ações de melhorias gradativas. Quando você vê, o processo já melhorou. Para isso é que servem as práticas ágeis”, encerrou.

Além dessa primeira edição do Café Tech Itinerante, outros eventos estão previstos para ocorrer em outros órgãos públicos.

Karine Miranda | MTI

 Foto por: Assessoria/MTI
Foto por: Assessoria/MTI
COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA