Fora do PSL, Selma Arruda se filia nesta quarta-feira ao Podemos

untitledEleita pelo PSL, na onda bolsonarista, a juíza Selma Arruda, que se notabilizou em levar para a cadeia dois políticos de grande expressão em Mato Grosso, Silval Barbosa, ex-governador e José Geraldo Riva, ex-presidente da Assembleia Legislativa, se filia nesta quarta-feira em um novo partido: o Podemos, do senador paranaense Álvaro Dias. Selma pula do barco do PSL, criticando o presidente Jair Bolsonaro e sua prole.

A assinatura da ficha de filiação ao novo partida da senador, que corre o sério risco de ser cassada do cargo pelo Superior Tribunal Eleitoral, como aconteceu em julgamento em Cuiabá, quando foi derrotada por 7 a 0, para a perda da senatoria, será em Brasília, no Congresso Nacional, longe de sua base partidária. Estarão apenas, em um almoço de assinatura, lideranças do partido.

Mas, apesar de deixar o PSL e criticar a família Bolsonaro, principalmente o deputado federal Flávio Bolsonaro, que teria gritado com ela em uma ligação telefônica, Selma garante que não muda seu conceito político e que permanecerá na base do governo.

“Mantenho meus princípios de magistrada e de pessoa que preza pelo combate à corrupção. O fato de ingressar no Podemos não me tira desse enredo, ao contrário, ele me traz apenas para um ambiente onde eu possa ser mais acolhida, onde eu me sinta mais independente para construir um Brasil melhor para todos”, disse.

Selma afirmou estar “muito feliz, honrada e otimista” pelo convite do Podemos e agradeceu o apoio recebido enquanto esteve no PSL.

“Reitero meu compromisso com o povo mato-grossense e com o Brasil, em consonância com a luta contra a corrupção e com o comportamento ético no trato da coisa pública”, afirmou.

A apresentação da parlamentar aos membros do partido em Mato Grosso ainda aguarda agenda dos senadores da sigla.

24 Horas News

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA