Alunos do IFMT-Pontes e Lacerda representarão Mato Grosso na final da Olimpíada Nacional de História

untitledDuas equipes do Instituto Federal de Mato Grosso Campus Pontes e Lacerda-Fronteira se classificaram para a etapa final da 10ª Olimpíada Nacional de História do Brasil (ONBH), que será disputada presencialmente, nos dias 18 e 19 de agosto, em Campinas (SP).

Elas foram as únicas do Estado convocadas pelo Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que organiza a competição, vista como uma proposta inovadora de estudo consistente de história. Neste ano mais de 14,3 mil equipes se inscreveram em todo país.

Sob orientação da professora mestre em história, Manuela Arruda dos Santos Nunes da Silva e colaboração do professor mestre Leonam Lauro Nunes da Silva, ambas equipes mantém o ritmo de preparação.

Batizada “Terezas de Benguela”, a primeira é formada pelas alunas Alliny Souza Pagliarini, do 2º Ano do Ensino Médio Integrado ao Curso Técnico de Informática-Matutino; Giovanna Garcia Tavares Oliveira e Laura Emilia de Macedo Lima, ambas do 2º Ano do Ensino Médio Integrado ao Curso Técnico em Administração-Matutino.

Já a outra equipe, “Enigma da Fronteira Oeste” é integrada pelos estudantes Kennedy de Silva Santos, Leandro Oliveira Diana e Matheus da Silva Santos, todos do 2º Ano do Ensino Médio Integrado ao Curso Técnico em Informática-Vespertino.

“Dentre as 311 equipes convocadas para a final temos as 2 únicas de Mato Grosso. Podemos observar que a Olimpíada gera a interação entre alunos das diferentes séries, turnos. Eles passaram nas fases online praticamente 2 meses estudando, ficando no contraturno, buscando orientação dos professores de Língua Portuguesa, Geografia, Literatura, enfim.

A competição estimula o trabalho interdisciplinar. Essa é uma conquista coletiva, do Instituto Federal de Mato Grosso Campus Pontes e Lacerda-Fronteira Oeste. A cada ano vemos consolidados nossos passos na Olimpíada porque ao longo dessas 10 edições o IF participou de 8 finais. Isso é muito significativo”, afirmou Manuela.

A aluna Giovanna destacou o empenho das equipes para o resultado e declarou ser de grande responsabilidade representar Mato Grosso na competição. “Foram difíceis e trabalhosas todas as fases, tivemos que nos empenhar em busca das respostas certas, estudar para a competição e ainda conciliar com as aulas no IF, os jogos escolares. Tivemos que buscar equilíbrio para alcançar os resultados, mas todos se dedicaram, com trabalho árduo”, disse.

Laura reforçou o trabalho em equipe. “Essa conquista é fruto de dedicação mútua, das equipes que trabalharam para dar o melhor, com apoio da professora Manuela, do professor Leonam. Tivemos incentivo, orientação para estudar e dar o máximo, diante dessa grande responsabilidade.

Ficamos com 2 equipes melhores do Estado. Parabenizo a todos que se inscreveram mas não conseguiram passar da fase online, mas saibam que estão indo conosco, sabemos que se dedicaram e fizeram um bom trabalho”.

Leandro também detalhou a busca de conhecimento. “Foi bem trabalhoso chegar até aqui, foram 6 fases que requereram muito conhecimento histórico que não tínhamos. Houve muita pesquisa, colaboração.

Depois que se tem um resultado desse, depois de tanto trabalho, é uma grande satisfação, é intenso. Estamos felizes”, declarou. “Chegar à final aumenta a responsabilidade, representar Mato Grosso, o Campus, não sei como explicar essa sensação”.

A Olimpíada- A competição é realizada pelo Departamento de História da Unicamp, com principal objetivo incentivar o desenvolvimento da análise crítica e discussões sobre os mais variados assuntos, por meio de pesquisa, da busca por informações, textos, imagens e mapas. Há apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e do Programa de Pós-Graduação em História da Unicamp.

Conforme a organização, a Olimpíada é realizada por equipes compostas por 4 pessoas: 3 estudantes (que podem estar em diferentes anos) e o professor de história do colégio. Cada professor pode orientar quantas equipes desejar, mas cada estudante pode fazer parte de apenas uma equipe.

Anterior à final, houve seis fases online que duraram uma semana cada uma, com questões e tarefas diversas. As respostas foram enviadas exclusivamente pelo site da competição e foram obtidas pelos participantes por meio do debate com os colegas de equipe e a pesquisa em livros, internet e a orientação dos professores.

Cada questão trazia 4 alternativas, e mais de uma alternativa correta, cabendo às equipes selecionar a que considerava a mais adequada em resposta à questão. A Olimpíada também mobiliza temas interdisciplinares

Na final, as equipes realizarão a prova dissertativa sem a presença do professor. Serão distribuídas 15 medalhas de ouro, 25 de prata e 35 de bronze, de acordo com a pontuação. Os demais competidores receberão medalhas de honra ao mérito.

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA