Corrida de São Silvestre deve reunir 30 mil pessoas nas ruas de São Paulo

untitledDesde 2011, apenas quenianos e etíopes subiram no pódio da Corrida de São Silvestre

A mais tradicional prova da América Latina contará com inúmeros destaques e a previsão, com os ajustes feitos no percurso, é que seja mais rápida.

O principal nome masculino do Brasil na São Silvestre , o mineiro Giovani dos Santos chegará mais uma vez como esperança de vitória nacional, o que não acontece desde 2010, quando Marilson dos Santos garantiu o topo do pódio. Giovani, que garantiu um lugar no pódio nas últimas seis edições, vem embalado pelo hepta na Volta Internacional da Pampulha, no começo do mês, e promete dar trabalho para os estrangeiros.

Outros nomes fortes no masculino serão Franck Caldeira, campeão em 2006, Wellington Bezerra, bicampeão do ranking da CBAt e quarto na Maratona de São Paulo 2017, Gilberto Lopes, vice na Eu Atleta 10K Rio 2017, Valério Fabiano e Éderson Pereira, entre outros. Já entre as mulheres, as atrações serão Tatiele de Carvalho, melhor brasileiro no ano passado, Joziane Cardoso dos Santos, campeã na Pampulha em 2014 e da Eu Atleta 10K Rio deste ano.

Leia também: São Silvestre: curiosidades sobre a tradicional corrida de rua do país

Estrangeiros

Estão confirmados o etíope Dawitt Admasu, campeão da São Silvestre em 2014, os quenianos Paul Lonyangata, campeão da Maratona de Paris deste ano, Stanley Biwott, campeão da São Silvestre e da Maratona de Nova York em 2015, Philemon Cheboi, campeão da Bay Breakers 12 k deste ano, Edwing Rotich, vice-campeão da Meia de Madri em 2017, Marwa Mkami, campeão da Meia Maratona Bamamoyo Tanzânia, e Paul Kipkemboi, sexto na São Silvestre do ano passado.

O ugandense Maxwell Rotich, campeão da Eu Atleta 10K Rio (2017), o tanzaniano Saidi Makula, Birhanu Balew, do Barhein, nono nos 5000m dos Jogos Olímpicos do Rio, o boliviano Jorge Fernandez, e o peruano Yerson Orellana, completam a lista destaques no masculino.

Leia também: Corrida de rua: dicas para quem deseja ingressar na modalidade

Entre as mulheres também sobram atletas com resultados expressivos. São elas as quenianas Flomena Daniel, terceira na Maratona de Paris deste ano, Leah Jerotich, campeã da Volta da Pampulha e da Maratona de São Paulo deste ano, Paskalia Chepkorir, vencedora da Meia de Dheli e dos 15k Kobenhavn, e a etíope Ymer Wude, bicampeão da prova

Completam a lista a tanzaniana Failuna Matanga, com 2h34min na Maratona de Amsterdã e sexta na São Silvestre do ano passado, a chilena Margarida Guineo, campeã da Meia Maratona Caja os Andes, e a argentina Marcela Cordeiro.

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA