A Justiça, por meio de decisão proferida pela magistrada Cristiane Padim da Silva, acatou pedido de providências realizado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso e determinou que recursos oriundos de transações penais, no município de Juína, sejam destinados para a realização do curso de pedreiro em alvenaria no Centro de Detenção Provisória da cidade.

Além de aprender uma profissão, os presos terão a oportunidade de colocar em prática os conhecimentos adquiridos com a construção de um local, no próprio Centro de Detenção Provisória, para acomodar os seus familiares nos horários de visitas.

De acordo com o promotor de Justiça Dannilo Preti Vieira, serão destinados recursos na ordem de R$ 22.817,16, sendo R$ 18.120,72 para a realização do curso e mais R$ 4.696,44 para aquisição do material restante para a conclusão da obra.

“O curso é uma possibilidade ímpar para que cidadãos que cumprem sua pena possam resgatar sua cidadania com a concreta possibilidade de se ressocializar, e com isso, ainda, conseguir o ‘perdão’ de parte de sua pena, através do estudo profissionalizante”, ressaltou o promotor de Justiça.

Além do curso de pedreiro, o Ministério Público conseguiu junto ao Senai a realização gratuita do curso de informática para 30 presos. O início das aulas está previsto para o dia 21 de janeiro. Atualmente, o Centro de Detenção Provisória de Juína conta com 129 presos.

Da assessoria

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA